domingo, 27 de maio de 2007

Cru: -eldade, -eza, -cial, entre outros.

Mais uma vez uma pitada de ódio, ironia ácida.
E essa escuridão lancinante, que foge incessantemente do sol e das janelas da alma.
Inerente e inexorável, todavia. Cheia de taras, braços, cabeças, bela besta.

Ódio cru
Lua infame cresceu na rua
Virou mendiga, catando lixo
Gosto dos trapos dela,
da sujeira com que se orna.

Enquanto ela furta na noite,
lambo suas feridas
É nela que me vejo espelhado,
meus instintos de gato.

Entretanto, arranjei um amigo
e venho me cansando de seus farrapos,
sua boemia noturna.

Na serenata de horrores, cantamos:
Navega lua, navega
estamos fartos de teu brilho desistente.
Meus olhos de lince precisam da tua luz?
Navega lua, navega.

E não volta mais.

- By me®

9 comentários:

Leila Lopes disse...

é inerente à lua o movimento, em nós os sentimentos, mas há este mergulho de lança que nos deixa mais longes do que "saberíamos" ir. novos caminhos fundos é o que nos interessa.
beijos, yuri.

Velhos Pergaminhos disse...

uma poesia sincera,
incisiva e
pessimista,
mostra uma liberdade de expressão em cada verso.

Fabrício Brandão disse...

... e esta mesma Lua observa todos os caminhos daquele que confessa a si mesmo, um ser desnudado de maiores propósitos. Pelos arredores sombrios do ódio, fuga impossível e cacos de lembranças inalienáveis rasgando uma pele espantada.

Abraços poéticos, meu caro!

Analuka disse...

...Lua cheia azul que leva e lava os estilhaços cortantes do ódio para o fundo do abismo, ou transforma-os em pó de cristal e estrelas... Lua que revela outras facetas, luz-e-sombra, dores que escurecem prazeres, luzes que fogem dos olhos... Lua que toca a carne atravessando a pele nua, para reinventá-la, livre dos medos e amarguras, longe da cru-eldade...
Abraços azulados.

héber sales disse...

brilho desistente... esta expressão me prendeu
belas imagens, Yuri.

abraço!

candice disse...

Amoooure,vou 'roubar' seus versos pra mim!
ahsuhasuhaus

tive uma idéia,proposta DECENTE:
vamos lançar nosso próprio livro de poesias???

=d


ti aaaaaaaaaamo.
sdds.
se cuida,
Bidie.

jalves disse...

Forte como a luz de um faròl.

Abraço deste lado do mar

Lunna disse...

Nossa! Intensa a sua poesia... Não apenas essa, mas as que seguem abaixo... Descubro-te e não quero perder-te, então vou possibilitar os esbarrões. Espero que não se importe.
Linkarei você.
Abraços.

Analuka disse...

Passo para recolher um pouco do brilho forte de tuas luas azuis-escuras, e para deixar um abraço azul-claro, e um convite: veja lá, e venha colorir conosco, em "Matizes"...