quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Minha resposta (sem que ninguém tenha perguntado)

Metapoética
Quero escrever como escrevo,
despretensiosamente.
Na diferença,
reside minha liberdade.
Se o padrão me execra,
alguém no mundo se encanta
com minhas palavras.
No máximo, organizo-me
para meu maior prazer.

- Tinha que postar essa primeira por desencargo de consciência.

4 comentários:

Sofia Sampaio disse...

Sem que ninguém tenha perguntado, não. Você se perguntou um milhão repetidos, repartidos, não?
O desencargo é para si, é a sua resposta, sua afirmação.
Que dúvida... se perdeu? Não se perca não.

Na diferença, na igualdade, até na dor e na maldade, tudo, é tudo liberdade. Faça o que quiser sem pensar em regras, seja som yuri, nas alturas!

tita coelho disse...

Muito gostoso te ler! Adorei teus versos!!
beijos

katherine funke disse...

liberdade liberdade liberdade

solfirmino disse...

Não há mais padrão. Já tentaram fazer, mas não existe, não tem como existir.