sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Dossiê e alma
Mergulho em palavras:
São nessas horas em que vivo,
quando não-sou.

Desde que o sempre é sempre
E o tempo é tempo
Preexisto minha essência, lenta, cativa
(LATENTE)

E só então me crio, amálgama inventado.

Por Dona Plácida e sua leveza.

2 comentários:

Leila Lopes disse...

as palavras nos oferecem mergulhos e lá estamos, tantas vezes, buscando a superfície do fundo de nós.
bjs,

héber sales disse...

o que significa o não-ser? que tipo de experiência é essa?
não se pode freqüentar este signo uma segunda vez - como de resto, a qualquer signo.
mas sabe, há mesmo um tipo de experiência poética que é assim, arredia a qualquer fixação, insubmissa, que não toma as palavras e sua informação pela realidade.
abraço, meu caro.