sábado, 12 de janeiro de 2008

Problema de espelho (ou movimento pendular)

estou cansado
de ser avaliado
pelo olho do outro
quero ser avaliado pelo meu
porque o olho do outro
é o olho do outro
é a vivência do outro
e não tem nada de espelho
entre eu e o outro
estou cansado
de me ver refletido
naquele suposto
e quem disse
e quem determinou
que é o outro
e não eu?
não poderia ser os dois?
estou cansado
estou triste
meus olhos afundam
entre imagens e reflexos...

- sinceramente cansado...

6 comentários:

héber sales disse...

você me lembrou um koan zen, que, neste contexto, poderia ser dito mais ou menos assim: "quem seria o outro se você não fosse do jeito que é?" - ou vice-versa.
um abraço.

Madalena Barranco disse...

Olá Yuri, em seu espelho li um poema refletido pelo verso, com o olhar umedecido que não se curva ao pêndulo hipnótico. Adorei! Beijos.

jalves disse...

Pessoa e seus heterónimos (DESASOSSÊGO)

Abraço deste lado do már com reflexos do espelho de água que nos separa.

jalves

tita coelho disse...

Yuri,
linda a poesia, promove uma bela reflexão!
beijos meus

Claudia Perotti disse...

Yuri,

Agradeço tua visita!
Eu ando cansada desses olhos dos outros.

Beijinhossssssssss

solfirmino disse...

Yuri, gostei da leitura e nos faz pensar sobre nós através do outro, como o outro nos vê, como esse olhar nos forma e transforma. O outro é importante, mas não que ele nos assimile e vire nosso reflexo. Mandei por e-mail um texto.
Abraço